domingo, 14 de dezembro de 2008

"A diferença entre fidelidade e lealdade!"


Um dia uma amiga me perguntou:
- Pra você o que seria trair conjugalmente alguém?
lhe respondi que seria sair com outra pessoa que não fosse a minha amada. Ela olhando fixamente para mim, meneou sua cabeça, e disse-me:
- Não! trair vai mais, além disso. Você comete traição com quem está, quando você deixa de ajudá-la, de ampará-la quando ela mais precisa de seu apoio como seu parceiro(a).
Ao ouvir essas palavras fiquei pasmo, pois percebi o quanto elas estavam perpassadas de pura sabedoria humana. Compreendi e compreendo com elas, que lealdade e fidelidade parecem significar a mesma coisa, mas isso é um tolo engano. Pois pasmem meus caros leitores, você pode ser fiel a sua cara-metade, mas isso não quer dizer que seja leal com ela. Mas você pode e deve me inquirir:
- Mas como assim, do que você está falando, como pode alguém ser fiel a outra, e ao mesmo tempo não lhe ser desleal? - é elementar meu caro Watson, permita-me aqui parafrasear o grande Sherlock Holmes. Você, eu e seja quem for, podemos nunca trair a pessoa com quem temos uma relação romântica, saindo com outra, mas isso, repito, necessariamente não faz de nós parceiros leais. Se não vejamos a continuidade da colocação de minha amiga, que citei nas linhas acima desta cronica:
- Você não é leal à outra, quando você trai todos ou alguns votos de amor importantes que você lhe fez. Por exemplo: de estar sempre com ela em todos os momentos, sejam eles felizes ou tristes, seja na saúde como na doença, nos tempos das vacas gordas ou magras, enfim, se fazer presente para o que der e vier. Imagine Elton,(continuou esta minha amiga em sua explanação):
- Se você fosse casado, e em uma bela manhã de domingo, se preparasse para um jogo de bola matinal, só que de repente, sem que você espere, sua esposa adoece, e com isso precise de sua companhia, e por conseqüência de sua ajuda. Não obstante, você que na verdade está louco para sair para sua “peladinha” logo nas primeiras horas do dia, ignora insensivelmente a enfermidade de sua mulher, e resolve ir para o seu jogo deixando-a só em casa, tendo que se virar sozinha com a súbita doença da qual foi acometida. Isso Elton, seria trair sua esposa, negar-lhe ajuda e amparo em um momento desses é uma prova incontestil de sua deslealdade para com ela. Não falo de traição no sentido sexual, aonde você pelas costas dela transaria com outra, é lógico que isso também é ruim, séria péssimo, principalmente se ela descobrisse. Mas falo principalmente naquela traição aonde você lhe nega amor verdadeiro e autêntico, quando deixa de estender a sua mão, não lhe dando auxílio, ajuda. Você pode até ser fiel sexualmente á ela, mas por outro lado, em uma situação como essa, pode mostrar também o quanto falta lealdade de sua parte para com sua mulher. Então isso me faz lembrar de um trecho da letra da musica, ”ainda é cedo” da lendária legião Urbana, que diz assim:- "...mas egoísta como sou, esqueci de ajudar, ah ela, como ela me ajudou".
Amar é ser fiel dentro do contexto da verdadeira lealdade, que significa, acima de tudo, sermos fiéis aos votos e juras de amor que fizemos, de nunca abandonar ou deixar de ajudar a quem tanto dizemos que amamos. Bom, acho que esta respondida tua indagação, caro leitor, é possível ser fiel, (no contexto sexual), mas se você se omite na relação com outrem, ainda mais quando sua presença e intervenção são necessárias, estás com certeza, mostrando o quanto é desleal para com ela.

(Crônica de ELTON DAS NEVES O ANJO DAS LETRAS.)


2 comentários:

elton neves disse...

Nossa,só aqui na lan house consegui acessar seu blog,estou com saudades de ler vc,mas da minha casa do meu micro não sei porque a internet explorer não abre pra mim tua página. Querida,vc mora em meu coração,sendo assim minha obra literária inteira esta a tua disposição,ok?me add no msn; eltondasneves.anjodasletras@hotmail.com

Anônimo disse...

muito bom